1924-2017

Mário Soares

Mário Soares foi o homem, o político, o pensador, o fundador da democracia. Viu, viveu, fez viver e mudar. Poucos como ele ficarão nos livros da história. Uma história de alguém que nunca desistiu e que aqui se conta.

  • Isabel, filha de Mário Soares, escreve sobre “o sentimento de orfandade e de tristeza enormes” depois da morte do pai. “Um ano depois da sua partida, a dor e a saudade não se atenuaram, antes aumentam a cada dia que passa”.

  • António Costa elogiou o "homem exemplar". Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que não se pode deixar cair o sonho do antigo Presidente da República.

  • Luís Vasconcelos, um dos primeiros editores de fotografia do PÚBLICO e antigo fotógrafo da presidência da República, via em Soares a encarnação de um espírito verdadeiramente livre.

  • Alfredo Cunha conheceu Mário Soares no dia em que este chegou do exílio e foi depois seu fotógrafo oficial nos dois mandatos como Presidente da República. Quem acompanhou, como ele, as célebres presidências abertas, sabe que "Marcelo não inventou nada".

  • João, filho de Mário Soares, recorda “os segundos” de “emocionada ternura” depois do beijo que deu ao pai num corredor da prisão de Caxias, contacto fugaz apenas autorizado pelos guardas porque era o dia em que fazia 13 anos.

  • Para Mário Soares, “a alegria de viver impunha-se”. Até ao fim do ano, será publicado o primeiro volume das Obras Completas do antigo primeiro-ministro e ex-Presidente da República. “Escrever era do que ele mais gostava”, garante o organizador da edição

  • Devemos exigir mais de nós próprios quando temos como função exigir mais daqueles sobre os quais escrevemos.