1924-2017

Mário Soares

Mário Soares foi o homem, o político, o pensador, o fundador da democracia. Viu, viveu, fez viver e mudar. Poucos como ele ficarão nos livros da história. Uma história de alguém que nunca desistiu e que aqui se conta.

  • O primeiro-ministro e secretário-geral do PS defendeu esta terça-feira, na apresentação do Fórum Mário Soares, o património de quase 50 anos dos socialistas.

  • “Não é possível compreender a História recente de Portugal sem reconhecer o carácter estruturante da integração europeia para o desenvolvimento económico e social do nosso país.”

  • É indiscutível que a UE deu um contributo determinante para o progresso e modernização do nosso país. Nem tudo está, porém, assegurado.

  • Quanto a segundos mandatos (e não só), estamos conversados. Há coisas que só não vê quem não quer ou quem não quer que os outros vejam.

  • Em 2013, o embaixador José Cutileiro — que morreu há uma semana aos 85 anos, em Bruxelas — deu uma longa entrevista para um projecto de memória oral, nunca publicada e da qual publicamos um excerto. Escolhemos as partes em que fala da sua entrada na carreira, em 1974, e como se propôs para ir para Moçambique.

  • É uma estupidez da direita ser contra Marcelo e é uma estupidez da esquerda ser a favor. Saiam os chapéus de burro.

  • José Cutileiro (1934-2020) era um céptico e pessimista antropológico, um diplomata político vindo da Antropologia que gostou da tribo e ficou, dizem amigos, colegas do ministério e um antigo chefe da diplomacia portuguesa.

  • Foi na Europa e com a Europa que conquistámos, desenvolvemos e consolidámos os valores de uma democracia pluralista, dos direitos humanos e sociais, de uma economia livre e de uma cultura cosmopolita