Especial

67.ª Berlinale

  • Terminada uma das mais desinteressantes competições de que há memória na Berlinale, as opções são duas: ou ganha Kaurismäki e ficamos todos contentes ou há surpresa e ficamos todos de boca à banda.

  • Não vale a pena resmungar por On The Beach at Night Alone ser mais do mesmo que o sul-coreano Hong Sang-soo sempre fez. Mas o novo filme não convence tanto como os anteriores.

  • Spell Reel, longa-metragem de Filipa César, é um extraordinário documentário-ensaio sobre as memórias do cinema militante guineense.

  • Colo, em concurso na Berlinale, é um filme duro, difuso, comovente, perturbante sobre o que acontece às vidas normais quando a crise atinge o último reduto, o da família. Um statement português na Alemanha da disciplina orçamental.

  • O novo filme da cineasta portuguesa estreia-se esta quarta-feira no festival com a presença do Ministro da Cultura. Em conferência de imprensa, Teresa Villaverde falou desta história de uma família em desintegração como um olhar sobre a solidão.

  • Luca Guadagnino mostra um filme-surpresa em Berlim: Call Me by Your Name é uma pastoral romântica de verão transportada por Timothée Chalamet, actor à flor da pele