Óscares 2016

Mesmo num ano em que Hollywood celebra nomeações de mais afro-americanos, dois estudos mostram que se houve progresso para as actrizes, os não-brancos continuam subrepresentados.

  • Mesmo num ano em que Hollywood celebra nomeações de mais afro-americanos, dois estudos mostram que se houve progresso para as actrizes, os não-brancos continuam subrepresentados.

  • O filme O Lobo de Wall Street, protagonizado pelo actor norte-americano foi financiado com dinheiro conseguido de forma ilegal por fundo malaio.

  • Franchise vai ser ressuscitado e contratou a actriz de A Rapariga Dinamarquesa para o papel.

  • Cantor britânico distinguido pela sua canção para o último 007 não foi afinal o primeiro homossexual a ser premiado pela Academia de Hollywood. E depois da polémica, vai sair por uns tempos do Twitter.

  • Cerimónia foi vista por 34 milhões de telespectadores. É a mais baixa audiência dos últimos oito anos.

  • O Óscar do Melhor Filme corresponde a uma “linha média” do cinema americano, que vive em crise nestes tempos. Como, de resto, o jornalismo, que está no centro de Spotlight.

  • À quinta nomeação, aconteceu: Leonardo, Melhor Actor. Tem-se visto, na sua preferência recente por personagens humanamente repulsivas, que se livrou da compulsão pela "empatia" do espectador, sinal de um actor interessante, que se leva a sério e pode ser levado a sério.